domingo, 22 de maio de 2022

AGLAONEMA COMMUTATUM 'SILVER QUEEN'











 

Aglaonema commutatum 'Silver Queen' é uma perene e herbácea da família botânica Araceae. Nativa do continente Asiático se adaptou ao nosso clima e jardins,

Suas folhas verde-escuras contêm marmoreio cinza prateado, são elípticas com margens inteiras, de até 20 cm de comprimento e 8 cm de largura. Além disso, as suas lindas folhas auxiliam na purificação do ar, filtrando as toxinas e benzenos presentes no ambiente interno.

Suas flores creme/branco aparecem como um spandex com uma espata verde. Seus frutos em forma de bagas.

Ao manter Aglaonema commutatum 'Silver Queen' como planta de casa, seu solo deve ser regado regularmente. A rega deve ser reduzida durante os meses de inverno. A sua temperatura preferida de crescimento ativo varia entre 18ºC e 24ºC. A alimentação com solução de fertilizante fraca deve ser realizada a cada duas semanas durante a estação de crescimento.

 

CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA

Reino: Plantae

Divisão: Magnoliophyta

Classe: Liliopsida

Ordem: Arismatales

Família: Araceae

Gênero: Aglaonema

Espécie: Aglaonema commutatum 'Silver Queen'

 

CLASSIFICAÇÃO BIOLÓGICA:

NOME CIENTÍFICOAglaonema commutatum 'Silver Queen'

PSEUDÔNIMOAglaonema, também conhecida como Café-de-salão ou Falso-café-de-salão.

FAMÍLIA: Araceae

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: nativa da Asia.

PORTE: pode atingir até mais de 1,50 metro de altura.

FOLHAS: folhas simples, em formato cordiforme, alongadas, brilhantes, coriáceas, muito duráveis e filotaxia alternadas. Suas folhas formam uma roseta lindíssima de coloração que vai do verde a prata.

TRONCO: planta apresenta um tronco reto e trepador.   

LUMINOSIDADE: deve ser exposto ao sol, meia-sombra e sol difuso.

ÁGUA: precisa de água quando estivar muito seco.

CLIMATropical de altitude, Subtropical e Temperado.

CULTIVO: De crescimento rápido, gosta de solos super drenado.

UTILIZAÇÃO: planta ornamental.

PROPAGAÇÃOMultiplica-se facilmente por sementes e eventualmente por separação de brotações laterais, ocasionais do caule.

CATEGORIA: folhagens

 

OBSERVAÇÃO: É UMA PLANTA TÓXICA - Todas as partes da planta são venenosas se ingeridas. O contato com folhas e seiva pode causar irritação da pele e dos olhos ou reação alérgica.

Procurar o médico quando for ingerida por crianças e caso de animais procurar um veterinário.

 

AGLAONEMA SIAM AURORA








 

A Aglaonema siam aurora é uma planta do gênero botânico da família da Araceae, são nativas das regiões tropicais e subtropicais da Ásia e da Nova Guiné.

Aglaonema é um gênero com mais de 50 espécies e diversas variedades, muito cultivadas em ambientes internos e externos. Apresentam textura herbácea e são pequenas, com altura variando entre vinte centímetros a um metro e meio de altura.

Essa planta apresenta folhas grandes, coriáceas, glabras, espessas, alternas, peciolada, simples e geralmente verdes com tonalidades padrões de manchas diversas que vão do verde claro ao vermelho intenso nas bordas a sua linda nervura central com vermelho intenso. Além disso, as suas lindas folhas auxiliam na purificação do ar, filtrando as toxinas e benzenos presentes no ambiente interno e externo.

As suas inflorescências são axilares, com espata e espádice de coloração branca ou branca-esverdeada e têm pouca importância ornamental.

Os frutos são avermelhados quando maduros e podem ser pouco ou decorativo em muitas espécies.

No entanto necessitam de boa ventilação e não suportam ambientes secos ou com ar condicionado. São rústicas, e não necessitam de cuidados muito especiais, sendo apropriadas para jardineiros iniciantes. Podem ser plantadas em vasos, jardineiras, jardins de inverno, ou até mesmo em canteiros no jardim, formando belos maciços ou bordaduras.

Devem ser cultivadas sempre à sombra (bastante luz difusa), em substrato rico em matéria orgânica, bem drenável e irrigado regularmente. Adaptam-se a ambientes internos ou externos, desde que estes sejam aquecidos, pois não toleram o frio ou geadas. O replantio anual na primavera deixa a planta mais vigorosa. Multiplicam-se por sementes, estaquia e divisão das touceiras.

 

CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA

Reino: Plantae

Divisão: Magnoliophyta

Classe: Liliopsida

Ordem: Arismatales

Família: Araceae

Gênero: Aglaonema

Espécie: Aglaonema siam aurora  

 

CLASSIFICAÇÃO BIOLÓGICA:

NOME CIENTÍFICOAglaonema siam aurora  

PSEUDÔNIMOAglaonema vermelha, Aglaonema vermelha.

FAMÍLIA: Araceae

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: nativa da Asia.

PORTE: pode atingir até mais de 1,50 metro de altura.

FOLHAS: folhas simples, em formato cordiforme, alongadas, brilhantes, coriáceas, muito duráveis e filotaxia alternadas. Suas folhas formam uma roseta lindíssima de coloração que vai do verde ao vermelho intenso.

TRONCO: planta apresenta um tronco reto e trepador.   

LUMINOSIDADE: deve ser exposto ao sol, meia-sombra e sol difuso.

ÁGUA: precisa de água quando estivar muito seco.

CLIMATropical de altitude, Subtropical e Temperado.

CULTIVO: De crescimento rápido, gosta de solos super drenado.

UTILIZAÇÃO: planta ornamental.

PROPAGAÇÃOMultiplica-se facilmente por sementes e eventualmente por separação de brotações laterais, ocasionais do caule.

CATEGORIA: folhagens.

OBSERVAÇÃO: É UMA PLANTA TÓXICA - Todas as partes da planta são venenosas se ingeridas. O contato com folhas e seiva pode causar irritação da pele e dos olhos ou reação alérgica.

Procurar o médico quando for ingerida por crianças e caso de animais procurar um veterinário. 

sábado, 21 de maio de 2022

TRADESCANTIA SILLAMONTANA






A Tradescantia sillamontana, é uma planta conhecida popularmente como o veludo-branca, ou trapoeraba-lanosa, de pequeno porte, herbáceo, suculenta, muito ramificada e ornamental. Nativa do México, possui ramos grossos, suculentos, com folhas carnosas, cuculadas e sesseis.

Seus caules são ramificados e com folhas de uma coloração verde escuros e inteiramente recobertos por longos pelos brancos prateados, dando a impressão que está coberta por uma teia de aranha.

Com suas flores delicadíssimas, de coloração que vai para um lilás e terminais que duram um único dia.

Muito rustica e versátil, pode ser cultivada a pleno ou em ambientes muito sombreados, mas para manter a beleza e forma compacta, necessita de boa luminosidade.

Suas regas devem ser moderadas e esparsas, pois não tolera o excesso de umidade nas raízes; além disso o substrato e solo devem sempre ter uma boa drenagem, evitando que ocorra o apodrecimento das raízes.

É muito apreciada para cultivo em vasos e jardineiras, de maneira pendente; para preenchimento de canteiros, como forração; ou ainda para compor jardins desérticos, em conjunto com outras espécies.

 

CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA:

Reino: Plantae

Divisão: Magnoliophyta

Classe: Liliopsida

Ordem: Commelinales

Família: Commelinaceae

Gênero: Tradescantia

Espécie: Tradescantia sillamontana

 

FICHA TÉCNICA

NOME CIENTÍFICOTradescantia sillamontana

NOMES POPULARES: Transdescantia veludo, veludo-branco, trapoeraba-lanosa

FAMÍLIA: COMMELINACEAE

CATEGORIA: suculentas e plantas ornamentais

CLIMA: Equatorial, Oceânico, Subtropical e Tropical.

ORIGEM: América do norte e central – México.

ALTURA: até 40 centímetro

LUMINOSIDADE IDEAL: Meia Sombra e Sol Pleno

CICLO DE VIDA: Perene. É uma espécie suculenta perene de baixa densidade que se espalha pelo solo formando almofadas lindas. Plante que cresce até 40 cm de altura.

HABITAT E ECOLOGIA: Cresce em locais secos e rochosos dominados por diferentes comunidades arbustivas. Cresce quase sempre em posição semisombreadas sob os arbustos de proteção e pequenas árvores.

CLIMA: Semiárido, Subtropical e Tropical.

CULTIVO: De crescimento muito rápido, gosta de solos rico em matéria orgânica.

UTILIZAÇÃO: suculenta ornamental.

PROPAGAÇÃO: Por sementes e hastes apical ou lateral.

FLORAÇÃO: a maior parte do ano especialmente no período chuvoso.

Duração da flor: em média dois a três dias.

CAULES: delgados, cilíndricos, ligeiramente angulados com protuberância cônica, eretos a declinantes e enraizados.

FOLHAS: Presente, simples, consistência carnosa ou suculenta, lanceoladas, bordo inteiro ou liso, de coloração verde intenso, filotaxia alterna, sesseis, de até 6 cm de comprimento e cobertas por longos pelos branco-flocosos.

INFLORESCÊNCIA: são formadas por pares de brácteas, que lembram pelo formato um pequeno barco ou canoa.

FLORES: Bissexual, regular, muito pequena e lilás, trímera, efêmeras, de pouca importância ornamental e com flores que duram apenas um dia.

ESTAÇÃO DE FLORAÇÃO: verão-outono.

FRUTO: o fruto formado é do tipo cápsula.

ÁGUA: precisa de água na formação das flores e ter cuidado para evitar o encharcamento por muito tempo.

REGAS: Sempre que o solo já estiver seco.

SUBSTRATO: Para suculentas ou para plantas ornamentais a base de turfa, carvão vegetal, casca de pinus moída e muito material orgânico.

FERTILIZAÇÃO: Uma vez na primavera e uma vez no verão, com adubo orgânico ou NPK 10-10-10 bem diluído em água (diluo pelo dobro de água do recomendado na embalagem).

PRAGAS E DOENÇAS: devemos manter suas raízes livres dos fungos e cochonilhas. Por isso, a adubação com fertilizantes orgânicos, ajuda a planta a se desenvolver suas raízes e livrar dos ataques de pragas.

 

 

TORRENIA FOURNIERI







 

As Torrenia fournieri são plantas floríferas do tipo herbácea e anuais de verão. Pertence à família Scrophulariaceae e são aparentadas como outras plantas da mesma família. É de pequeno porte, atingindo cerca de 30 cm de altura e ramagem compacta e bastante ramificada, dando a planta um aspecto arredondado.

Suas folhas são glabras, de coloração verdes claro e filotaxia oposta, com margens serrilhadas.

As flores são abundantes, axilares e terminais. Elas são lindas, aveludadas, em forma de trompete, com corola azul e garganta branca-amarelada e outra com coloração rosa, estendendo-se por todo o período chuvoso aqui no extremo norte do Brasil.

Aqui em casa, tenho disponível a coloração rosa e azul escuro conforme as fotos acima. Nessa espécie, há uma grande diversidade de cores, além do: azul, branco, rosa, amarelo, roxo, violeta até o vermelho.

No paisagismo elas substituem perfeitamente os amores-perfeitos no verão, formando belos, densos, maciços e bordaduras nos canteiros e vasos. Também podem ser plantadas em vasos e jardineiras, e as variedades pendentes ficam excelentes em vasos suspensos.

Devem ser cultivadas sob sol pleno ou meia-sombra, em solo humoso, drenável e irrigado regularmente, quando a terra estiver seca.

Multiplica-se por sementes, postas a germinar do período chuvoso do outono ao início da primavera, e mais raramente por estacas.

 

 

CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA

Reino: Plantae

Divisão: Magnoliophyta

Classe: Magnoliopsida

Ordem: Lamiales

Família: Scrophulariaceae

Gênero: Torenia

Espécies: Torenia fournieri

 

CLASSIFICAÇÃO BIOLÓGICA:

NOME CIENTÍFICOTorenia fournieri

PSEUDÔNIMO: Torênia ou Amor-perfeiro-de-verão

FAMÍLIA: Scrophulariaceae

CICLO DE VIDA: Anual

ORIGEM: nativa do continente Asiático.

PORTE: Chega atingir até 30 centímetro de altura.

FOLHAS:  Suas folhas são pequenas, pecioladas, simples, lanceolada, lobo serrilhada, nervuras peninérveas, filotaxia oposta, de coloração verde claro, consistência membranosa e com cerca de 2,5 – 5,0 cm de comprimento.

CAULE: bem desenvolvido, aéreo, pouco resistente, haste e herbáceo.

LUMINOSIDADE: meia-sombra e sol pleno.

ÁGUA: precisa de muita água no início e depois.

CLIMA: Semiárido, Subtropical e Tropical.

CULTIVO: De crescimento rápido, gosta de solos super rico em material orgânico e drenado.

UTILIZAÇÃO: planta ornamental.

PROPAGAÇÃO: Por meio de sementes.

CATEGORIA: folhagens e flores.